sexta-feira, 29 de março de 2013

Do ar: humores transparentes


Pula a bolha
Na minha blusa.
Lambuza
De película tonteante
O sabão – alquimista valente a voar em revoluções diáfanas coloridas.

Na roupa colou, estourou,
babou toda sua alegria...

(visco flutuante)

A veste adoçou o sabão de vermelho...

Então ele disse adeus ao sonho de ser nuvem, 
E ela: 
ficou toda molhadinha. 

Um comentário: